Apenas o silencio da escuridão.

— Queria dormir ao som de trovões, relâmpagos, ou no mínimo ao som de uma chuva fraca, só que pelo visto dormirei na escuridão sem baralho algum que me conforte, apenas escuridão e silencio. Espero não sonhar com você essa noite, nem nas noites seguintes, e espero que também não sonhe comigo, e que não estejas pensando em mim. Somos dois passados, e o que eu menos quero é ilusão. Nunca me esqueço de nada, nem de ninguém, já o contrario sempre acontece. — Disse Tommy, antes de fechar os olhos.

Mais Thomas não sabia que pudera estar tão errado, Tommy era um lembrança presente na vida de muitas pessoas, seja lá quem elas fossem, algum resquício de Tom surgia na memoria delas.

Antes de por os pés na água gelada do Havaí, os olhos de Luca brilhavam como se nunca na vida tivesse visto o mar na sua frente, mesmo nascendo em uma cidade litorânea, e estudando na Califórnia aquela sensação de surpresa surgiu em sua mente, com uma prancha abraçada pelo seu braço direito, penso em Tommy e sorriu.

— Essa daqui é pra você! Você tem que surfar aqui um dia meu irmão.

Já em um país oriental, Terry tentava convencer um vendedor de electrónicos para que ele lhe vendesse um vaporizador, que tinha sido usado como uma moeda de troca, entre o vendedor e um holandês.

O holandês achou na loja um souvenir de um dragão que mexia as asas e soltava vapor. O vendendo achava que o vaporizador era uma walkman moderno. E Terry só conseguiu comprar o vaporizador por que viu um disco dos The Beatles plastificado lá loja, e tirou uma foto de dentro de uma carteira, com ele e mais quatro amigos, aponto onde estava Thomas e então disse,

— “My friend Mr. Kite” , o chinês assentiu com acabeça, e Terry saiu empolgado com o vaporizador na sacola cantarolando uma musica de bezerra da silva “malandro é malandro, e mané é mané”.

Em um avião perto de Dubai, Dude estava com os olhos lacrimejando com vontade de xingar, e de sorrir ao mesmo tempo, depois de ter lido o primeiro livro de um tau de James Thomas, que por acaso, ou não por acaso assim era seu amigo de infância, e a foto no final do livro tinha Dude e mais quatro amigos relamente felizes, onde Dude estava em uma situação muito constrangedora.

Em uma praia chamada Santa Cruz, Nuna desabafava com seu vizinho gay, que por conta de ciúmes, disse para sua melhor amiga que transou com o carinha que ela gosta e se pudesse faria novamente, e novamente, só que ele estava meio perdido, parecia esperar por alguém que nunca virá.

Do lado da casa de Nuna, sua vizinha estava bloqueando Tommy de seu facebook, até lembrar que os dois eram solteiros e o que estav fazendo era uma infantilidade.

Em um estado vizinho, uma senhora tinha acabado de colocar dois passarinhos que pareciam com cisne, uma borboleta, e um cata-vento, todos de origame, em sua janela. E estava sentada de frente para eles os vendo balançar com o vento que vinha de for do quarto. Ela estava feliz, e lembrou do rapaz que a entregou por que a viu chateada, quando ela percebeu  que seu protetor de sonhos que ela tinha esquecido na praça de alimentação tinha sido levado.

A cinco quadras dali, uma garotinha guardava uma rosa de papel celofane vermelho que antes tinha uma trufa dentro, com um papel escrito, “te dou este chocolate e está rosa. E se você conseguir tirar o chocolate sem se desfazer da rosa, lhe concederei um pedido”.

E a garotinha fechou os olhos sorridente, e pediu com toda sinceridade do mundo o seu desejo.

Em um lugares onde Thomas nunca pensaria que estava sendo lembrado, memorias sobre Tommy surgiam na mente das pessoas. Curiosamente ao mesmo tempo, só que em horas diferentes, momentos diferentes, e Tom dormia no silencio da escuridão.

Sonhando com quem queria esquecer, sonhando com que já o tinha esquecido.

brazilwonders

Quer ser ajudante do BW no Facebook?

brazilwonders:

Envie uma mensagem na página do BW (clique aqui) informando o seu horário disponível, o porque você quer fazer parte da equipe do BW e o link do seu Tumblr.

O resultado será divulgado no dia 01/09 no Tumblr.

Observação: Iremos selecionar apenas um ajudante para realizar postagens na página do Facebook. Caso a pessoa selecionada não entre em contato ou não realize as postagens, iremos selecionar outro ajudante. 

Em caso de dúvidas entre em contato.

Nariz gelado.

Gosto do som de chuva as 2:54 da manhã, assim como gosto da chuva as 16:39, gosto da garoazinha que faz as 4:045, um frio que deixa os vidros molhas sem ter chovido, como se você tivesse tomado banho e molhado o vidro da janela do banheiro. No litoral meu nariz fica gelado aos 19 graus(não achei a bolinha da graus no teclado) C. E enquanto em Solania aos 8 graus C, eu brincava soprando meu “bafo” no ar, usava uma jaqueta jeans e uma blusa térmica por dentro.

Ao contrario do que as pessoas pensam, existem muitos locais chamados “circuitos do frio”, onde mostra algumas cidades nem tudo aqui é quente. Somos acostumados com clima quente, mas o clima frio daqui também é frio, 3 graus C, 4graus C, isso aqui pra nós é frio, não é costumeiro, mas acontece.

Sinto falta falta desse frio, e me dá vontade de correr pra uma dessas cidades do circuito do frio daqui da PB ou de lá de PE, ou RN e me prender lá por um tempo. Mas sem querer parecr esquizofrénico, poso me sentir bem em uma semana nesses lugares, talvez até por uns 10 ou 15 dias, mas confesso que se me privarem do meu oceano, do mar, e da areia da praia, eu fico mais deprimido do que já sou.

Seu eu pudesse viveria seis meses em cada lugar do mundo, mas com certeza passaria 6 meses em um lugar com praia.

No momento estou sentindo falta do frio,mas quando o frio bate eu fico triste, isso é só coisa mesmo do meu orgulho, estou na verdade sentindo de me sentir aquecido. O frio ajuda a deixar as pessoas mais próximas.

Amanhã espero que faça sol.